Weby shortcut
LOGO SAUDAVELMENTE
Marca da PROCOM - Pró-Reitoria de Assuntos da Comunidade Universitária
ufg_logo
Foto roda de conversa CAAF

Saudavelmente na roda de conversa "Mulheres em Ação"

Programa Saudavelmente participa da roda de conversa "Mulheres em Ação" da CAAF.

A Coordenadoria de Ações Afirmativas (CAAF) da UFG organizou, na última quarta-feira, 11/03, uma roda de conversas com o tema Mulheres em Ação. Na semana em que diversos países comemoram o "Dia Internacional da Mulher",  professoras e alunas da Universidade que integram coletivos feministas se reuniram no Espaço Afirmativa da CAAF, no Câmpus Samambaia, para debater diversos assuntos que envolvem a questão da identidade de gênero.

A pró-reitora de Extensão e Cultura, Giselle Ottoni, também participou do evento. Segundo ela, conversas como essa trazem um enorme ganho pessoal e alerta para problemas que precisam ser tratados pela Universidade. “Há problemas que levam muito tempo para começarem a ser solucionados, mas há outros que basta conhecê-los para se estabeleçam estratégias de superação”, afirmou. Para Gisele Ottoni, a equipe de gestão da Universidade está empenhada em transformar nossa instituição em um local mais democrático e acolhedor.

 

Professoras e alunas participaram do debate

Professoras e alunas discutem questões que envolvem identidade de gênero

A coordenadora da CAAF, Luciene Dias, afirmou que a intenção do debate foi expandir as discussões. “Momentos como esse devem ser repetidos e todos aquele que fazem parte da UFG estão convidados à construir uma universidade que respeita as diferenças”, afirmou.

Na ocasião, as participantes apresentaram algumas propostas para contribuir na solução de diversos problemas levantados durante o debate. A CAAF encaminhará à reitoria as sugestões. Luciene Dias destacou que todas as ações afirmativas que a coordenadoria têm trabalhado recebem apoio da reitoria. 

De acordo com a coordenadora, os trabalhos da CAAF buscam garantir a entrada e permanência de estudantes que se caracterizem pretos, pardos ou indígenas (PPI) na pós-graduação da Universidade, garantir o uso do nome social, moradia estudantil e respeito às diferenças, inclusive, por meio da adoção de novas pedagogias pela comunidade acadêmica. Essas propostas já estão sendo trabalhadas e, em breve, devem ser levadas ao reitor.

Entre os outros temas abordados pela roda de conversa, as participantes discutiram a multiplicidade da mulher e o que representa o dia "oito de março" na atualidade. A roda de conversas foi mediada pela professora da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC), Angelita Lima e contou com a presença da psicóloga Anneliza de Sá, integrante do Programa Saudavelmente, equipe de Saúde Mental que atua no atendimento psicológico, psiquiátrico e social de estudantes e servidores da UFG.

Fonte : ASCOM UFG

Listar Todas Voltar